Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Aspartame - O "inofensivo" adoçante






ASPARTAME
O "inofensivo" adoçante




O aspartame foi aprovado em 1981 apenas para uso em alimentos secos. Por mais de oito anos a Food and Drug Administration (FDA), órgão do governo americano que regulamenta e aprova o uso e a comercialização de alimentos e medicamentos, recusou-se a aprová-lo por causa das convulsões e tumores cerebrais que essa droga provocou em animais de laboratório. A FDA continuou a recusar a aprovação até que o presidente Reagan (um amigo da Searle, empresa que criou o aspartame) assumiu o governo e demitiu o comissário da FDA que não queria aprovar o produto. O dr. Arthur Hull Hayes foi nomeado comissário. A aprovação foi alvo de tanta oposição que se criou uma comissão de inquérito, que chegou à seguinte conclusão: "Não aprovem o aspartame". O dr. Hayes, porém, PASSOU POR CIMA de sua própria comissão de inquérito e aprovou. Pouco depois de aprovar o uso de aspartame em bebidas carbonatadas, Hayes largou o cargo em troca de um excelente emprego na empresa de relações públicas da G.D. Searle.


Danos a longo prazo

O aspartame pode causar danos de forma lenta e silenciosa naqueles que não apresentam reações imediatas que os impeçam de usá-lo. Pode levar um, cinco, dez ou quarenta anos, mas a substância provoca, a longo prazo, mudanças da saúde - geralmente reversíveis, mas às vezes não.

METANOL (também conhecido como álcool de madeira e veneno) - representa 10% do aspartame. É um veneno que já causou a morte e a cegueira de muita gente. O metanol é liberado aos poucos no intestino delgado quando o grupo metil do aspartame encontra a enzima quimotripsina.

A absorção do metanol pelo corpo é bastante apressada com a ingestão de metanol livre. O aspartame se decompõe em metanol livre quando aquecido acima de 30°C. Isso acontece quando o produto que contém aspartame é armazenado de forma imprópria ou quando é aquecido (por exemplo, quando faz parte de um "alimento" como gelatina diet ou quando é usado para adoçar o cafezinho).


No corpo, o metanol decompõe-se em ácido fórmico e formaldeído – uma neurotoxina mortal.

Os males mais conhecidos causados pelo envenenamento por metanol são os problemas de visão. O formaldeído é uma substância carcinogênica, causa danos à retina, interfere com a duplicação do DNA e causa defeitos congênitos no feto. Por causa da falta de duas enzimas fundamentais, os seres humanos são muitas vezes mais sensíveis aos efeitos tóxicos do metanol do que os outros animais.

Já se divulgou que sucos de fruta e bebidas alcoólicas contêm pequenas quantidades de metanol. Mas é importante lembrar que o metanol em produtos naturais nunca ocorre isolado. Na natureza, há também a presença de etanol, geralmente em quantidade muito maior. O etanol é um antídoto para a toxidade do metanol em seres humanos. As tropas da Operação Tempestade no Deserto (Guerra do Golfo) foram "presenteadas" com grande quantidade de bebidas adoçadas com aspartame, aquecidas acima de 30°C sob o sol da Arábia Saudita. Muitos soldados voltaram para casa com numerosos problemas de saúde semelhantes aos encontrados em pessoas quimicamente envenenadas com formaldeído. O metanol livre nos refrigerantes pode ter sido um fator importante dessas doenças. Outros produtos da decomposição do aspartame, tais dicetopiperazina da aspartilfenilalanina (DKP), podem ter contribuído também.

Mesmo assim, numa resolução de 1993 a FDA aprovou o aspartame como ingrediente de numerosos alimentos que devem ser sempre aquecidos acima de 30°C. Como se não bastasse, em 27 de junho de 1996, sem nada divulgar, a FDA removeu todas as restrições ao aspartame, permitindo seu uso em tudo, inclusive em produtos quentes e assados.

Várias reações ao aspartame são muito graves, como convulsões e morte. Essas reações incluem (em ordem alfabética):
  • Artrite
  • Ardor nos olhos ou na garganta
  • Ardor ao urinar
  • Asma
  • Ataques de ansiedade
  • Ataques de pânico
  • Câncer no cérebro (estudos pré-aprovados em animais)
  • Coceiras
  • Confusão
  • Convulsões
  • Depressão
  • Diarréia
  • Dificuldades para pensar e raciocinar
  • Dificuldades para respirar
  • Dor abdominal
  • Dores nas articulações
  • Dores de cabeça e enxaquecas
  • Dores no peito
  • Dormência ou comichão nas extremidades
  • Enxaquecas ou dores de cabeça muito fortes (provocadas pelo uso crônico)
  • Espasmos musculares
  • Exantema (placas vermelhas pelo corpo)
  • Excesso de fome ou sede
  • Fadiga
  • Fadiga crônica
  • Fala arrastada
  • Fobias
  • Ganho de peso
  • Hipertensão (pressão alta)
  • Impotência e problemas sexuais
  • Incapacidade de concentração
  • Inchaço, edema (retenção de fluidos)
  • Insônia
  • Irritabilidade
  • Laringite
  • Morte
  • Mudanças marcantes de personalidade
  • Náusea e vômitos
  • Palpitações cardíacas
  • Pensamento enevoado
  • Perda de audição
  • Perda (calvície) ou queda de cabelo
  • Perda de memória
  • Perda de visão
  • Problemas ou alterações menstruais
  • Problemas de controle do açúcar no sangue (hipoglicemia ou hiperglicemia)
  • Reações alérgicas
  • Reações asmáticas
  • Rubor da face
  • Sentimento de irrealidade
  • Suscetibilidade a infecções
  • Taquicardia
  • Tinido nos ouvidos
  • Tosse crônica
  • Tontura
  • Tremores
  • Urticária
  • Vertigens
A doença do aspartame apresenta os mesmos sintomas e agrava as seguintes doenças:
  • Fibromialgia
  • Artrite
  • Esclerose múltipla
  • Mal de Parkinson
  • Lúpus
  • Sensibilidade química múltipla (MCS)
  • Diabete e complicações relativas à diabete
  • Epilepsia
  • Mal de Alzheimer
  • Defeitos congênitos
  • Síndrome da fadiga crônica
  • Linfoma
  • Doença de Lyme (doença bacteriana causada pelo micro-organismo Borrelia burgdorferi, depois da picada de um carrapato infectado. Os sintomas incluem exantema (mancha vermelha) grande e circular no local da picada (em 50%-60% dos casos), mal-estar, febre, dor de cabeça, dores musculares e inchaço dos nódulos linfáticos. Se não for tratada, pode provocar artrite e comprometer a função cardíaca)
  • Transtorno do déficit de atenção (ADD, hiperatividade)
  • Síndrome do pânico
  • Depressão e outros problemas psicológicos
Como acontece
O aspartame se transforma em subprodutos perigosos para os quais não temos defesas naturais. O estômago vazio de quem faz regime acelera essa transformação e amplifica os danos. Os componentes do aspartame vão direto para o cérebro, causando dores de cabeça, confusão mental, convulsões e equilíbrio deficiente. Ratos de laboratório e outros animais usados nos testes morreram de tumores cerebrais.

Em geral são necessários sessenta dias, pelo menos, de abstinência do aspartame para que sejam visíveis melhoras significativas. Verifique cuidadosamente todos os rótulos (inclusive os de vitaminas e medicamentos). Procure a palavra "aspartame" no rótulo e evite-o. É também boa idéia evitar "acesulfame-k", "neotame" e "sunette" (produtos compostos basicamente das mesmas substâncias do aspartame). Finalmente, evite procurar informações nutricionais na indústria alimentícia ou em empresas de divulgação, que recebem grandes somas de dinheiro da indústria alimentícia ou química.

Se você usa qualquer produto com aspartame e tem problemas físicos, visuais ou mentais, experimente passar 60 dias sem aspartame. Se depois de dois meses sem ingerir nenhum aspartame seus sintomas se aliviarem ou desaparecerem, divulgue para ajudar outras pessoas a se livrar dele.



Fonte de pesquisa (leia o texto completo):
http://www.geocities.com/HotSprings/Falls/8669/page4.html

Mais informações sobre o assunto em:http://imirante.globo.com/oestadoma/semanal/familia3006102/area-familia.html

http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=337&Itemid=32


http://www.vivernatural.com.br/terapias/nutri_aspar.htm



Retirado de:  http://curapelanatureza.blogspot.pt/2009/02/os-perigos-do-aspartame.html Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. O adoçante não é só consumido por pessoas que estão a fazer dietas,mas principalmente por diabéticos. Doença,a qual,leva ao desenvolvimento de outras patologias como por exemplo,a cegueira. Logo, o consumo do ASPARTAME vai acelerar o aparecimento das doenças secundárias. O pior é que muitos diabéticos não possuem esta informação e acham que estão a cuidar da saúde ao fazer a substituição do açúcar por este adoçante.
    Desde,já gostaria de parabenizar este blog por trazer as pessoas informações importantes e espero que as pessoas que leiam façam uso destas informações e passem a palavra.
    A seguir, deixo um link que fala sobre outros tipos de adoçante e também descreve os malefícios do ASPARTAME.
    "Stévia é o adoçante mais saudável e aspartame é o grande vilão"
    http://www2.uol.com.br/vyaestelar/stevia.htm

    ResponderEliminar