Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Quando "eles" matam e afirmam que o medicamento é bom


 






 "MEDICAMENTOS" QUE MATAM

 






O número de reações sérias e mortes causadas por medicamentos nos Estados Unidos aumentou muito nos primeiros três meses deste ano e bateu recordes, de acordo com uma ONG que monitora a indústria farmacêutica. Dados do FDA (agência que regula fármacos e alimentos nos EUA) indicam 21 mil relatos de reações sérias a drogas, incluindo mais de 4.800 mortes, afirma o Instituto de Práticas Seguras de Medicação (ISMP, na sigla inglesa).

Dois remédios são responsáveis por grande parte dos relatos recentes: versões importadas da China da heparina, medicamento para afinar o sangue, e o Chantix, uma nova droga da Pfizer usada para combater o vício de fumar. O Chantix age diretamente sobre o cérebro do fumante para suavizar os efeitos da abstinência de cigarro. Além disso, também bloqueia os efeitos prazerosos da nicotina caso o paciente tenha vontade de fumar outra vez. 

No começo do ano, a FDA avisou que o Chantix poderia ter ligação com problemas psiquiátricos, como comportamento suicida e sonhos muito vívidos. A Pfizer diz que continua confiando no medicamento e que o volume de relatos negativos pode estar ligado à publicidade sobre efeitos colaterais.   

"O FDA está ciente do número crescente de relatos de reações adversas, e nós os levamos a sério", diz Christopher DiFrancesco, porta-voz do órgão. No entanto, funcionários do FDA dizem não saber se os relatos cresceram porque a situação está piorando ou simplesmente porque hoje há mais consciência sobre problemas envolvendo a segurança de drogas. 
Definições
O FDA define as reações sérias a drogas como as que causam hospitalização, exigem uma intervenção médica ou colocam uma vida em risco. O sistema de monitoramente da agência depende de relatos voluntários de médicos e, por isso, só capturaria uma fração dos problemas gerais.

Os quase 21 mil casos relatados de janeiro a março equivalem a um crescimento de 38% perto dos quatro trimestres anteriores, e o maior número registrado até hoje. O número de mortes, 4.824, corresponde a um aumento de quase três vezes se comparado ao último trimestre de 2007.

O estudo do ISMP aponta que a heparina causou 779 problemas sérios, dos quais 102 mortes. O FDA, usando dados que cobrem mais tempo, relatou 238 mortes possivelmente ligadas à heparina. De acordo com o ISMP, a heparina "ilustra um problema significativo de segurança de drogas que foi rápida e eficazmente resolvido pelos fabricantes e pelo FDA assim que a questão foi detectada e entendida". O mesmo não vale para o Chantix, diz o relatório. Seria obrigação do FDA avisar os pacientes que tomam o medicamento de que eles podem desmaiar e causar acidentes, diz o ISMP.

O relatório mostra 15 casos de usuários do Chantix que parecem ter se envolvido em acidentes de trânsito e 52 outros casos de perda de consciência. O FDA recebeu 1.001 relatos de problemas sérios ligados ao Chantix, mais do que os relatos para os dez remédios não-genéricos mais vendidos juntos. No Brasil, onde o remédio também é vendido, não há relatos de reações adversas.

Em comunicado oficial, a Pfizer declara: "Defendemos a eficácia e segurança do Chantix. Poucas coisas trazem mais benefício à saúde do que parar de fumar. A Pfizer está comprometida com a redução da prevalência do cigarro no mundo. Como parte dessa missão, queremos aumentar o entendimento das pessoas sobre os perigos de fumar e os benefícios de parar de fumar".



Fonte: globo.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário