Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

É seguro consumir suplementos alimentares?




 SUPLEMENTOS NATURAIS
O que fazer com eles?









Desde tempos remotos que a Natureza é usada para curar ou aliviar males que afectam o tanto o ser humano como animais. Ainda hoje vemos que o uso de plantas é comum, principalmente nos meios mais rurais.
Desde meados dos anos 50 que esta tendência tem vindo a diminuir uma vez que o recurso a substâncias sintéticas tem ganho lugar nas farmácias caseiras das pessoas. Em apenas 60 anos, os produtos naturais foram postos de parte e visto como algo que não faz efeito e pode ser muito perigoso. Há quem se ria de quem recorre ao uso destes produtos por acharem que essas pessoas ainda vivem num mundo remoto ou inclusive porque são pessoas "zen" que não vivem neste planeta. Infelizmente assiste-se ainda a estas críticas.
O que é fato é que os produtos naturais, seja em comprimidos, em xaropes, em pó ou em chá têm efeito terapêutico tão eficaz quanto um produto sintético produzido artificialmente pela farmácia. A procura dos químicos deve-se principalmente à rapidez de actuação do mesmo, já que os naturais têm um tempo de acção mais demorado. 
A desvalorização e ridicularização das substâncias naturais é infundada e desprovida de inteligência, uma vez que os sintéticos são cópias defeituosas das substâncias contidas na Natureza.
Muitas vezes me perguntam se determinado suplemento é perigoso para a saúde. Para esclarecer esta questão convém primeiro entender como é constituída uma planta quimicamente. As plantas, enquanto seres que não se podem deslocar para se protegerem das agressões externas, criam substâncias que façam isso por elas. Na sua constituição encontram imensos quimicos, uns mais fortes outros menos fortes. Quando falamos do principio activo da planta, não falamos de um elemento isolado tal como é um comprimido da farmácia. Falamos de um principio activo que está rodeado de outras substâncias que evitam ou diminuem os efeitos secundários que a substância principal possa provocar. Como exemplo falo de uma planta muito humilde, que não passa pela cabeça de muitas pessoas, que é usada pela industria farmacêutica para o fabrico da tão famosa aspirina. É o Salgueiro Branco. Uma planta que cresce perto dos rios, encontra-se na sua casca o ácido acetilsalicilico, o principio activo da aspirina. Pois é, esta plantinha, antes de a indústria química a ter sintetizado, já ela a tinha para dar ao homem para lhe aliviar as dores.
Apesar de poder provocar a mesma alergia que provoca a aspirina, entenda-se que a substância está lá contida, a casca de Salgueiro Branco pode ser tomado por vários períodos de tempo sem correr o risco de grandes complicações, ou até nenhumas. Isto porque as restantes substâncias contidas na casca, travam o exagerado efeito provocado pelo ácido. Outras substâncias protegem os órgãos das agressões que possam ser causadas e outras, como vitaminas e minerais nutrem as células.
Assim se a urgência do caso não for muita, creio que o chá, ou comprimidos de Salgueiro Branco é muito mais útil, porque para além de dar o efeito que pretendemos, ainda nos nutre com outros elementos. Note que um comprimido de uma planta, não passou a ser perigoso só porque está em comprimido, cápsula ou outra forma qualquer. Simplesmente estas formas de apresentação contêm uma concentração maior de substâncias o que lhes dá uma maior rapidez nos seus efeitos. Numa comparação exagerada, um comprimido equivale a um litro de chá. Penso que não estava com disposição para tomar três litros de chá por dia, ou até mais!
Relativamente à segurança dos produtos que se vendem nas ervanárias, são normalmente produtos de alta qualidade e que podem ser consumidos sem grandes preocupações. As marcas que comercializam estes produtos, fazem por norma análises para validar e certificar a qualidade dos mesmos.
Deve-se sempre seguir as recomendações descritas na embalagem, porque cada produto, como não existe standarização, tem a sua forma de tomar, a sua posologia, momento da toma. 
É preciso dizer e sublinhar que, por imposição das grandes potencias, organizações e governos, os produtos naturais foram proibidos de conter a bula (boletim informativo). Como não são considerados medicamentos, mas sim alimentos, a informação da sua acção no organismo não está mencionada. Nem permitem sequer a informação de interacções com medicamentos e possíveis efeitos adversos. 
Tal como os medicamentos prescritos pelos médicos, todas as pessoas que pretendam tomar suplementos deviam antes consultar um profissional da área. Mais uma nota importante, os profissionais dos produtos naturais são os terapeutas em medicina natural e não os médicos ou farmacêuticos. Um médico não tem formação alguma em plantas medicinais e outros suplementos. Os profissionais da área, como naturopatas, acupunctores, homeopatas, entre outros é que sabem como funcionam as plantas medicinais e sabem quais as mais adequadas para o seu caso. Os produtos naturais para além do conhecimento empírico, são largamente estudados pela ciência em laboratorios. Pode e deve sempre comunicar ao seu médico que está também a realizar um tratamento com plantas.
Apesar de as  plantas serem mais inócuas que os medicamentos, não deixam de poder provocar reacções indesejadas. Lembre-se sempre que as plantas contêm químicos e estes podem causar interferências com medicamentos que esteja a tomar por ordem do médico. É muito importante que não seja você a decidir o que tomar. É preferível que procure um profissional especializado. Isto evita duas coisas: uma que, como se "medicou" mal, diga que afinal as plantas nada fazem. A segunda é que, se tomar o errado, não verá melhoras e gastará muito mais dinheiro.
Concluindo, os suplementos alimentares, sejam plantas, vitaminas e minerais, ou outras substâncias, são seguras para a saúde e devolvem a saúde ao ser humano. São usados desde tempos remotos e o seu uso/efeitos hoje em dia continuam provados pelos casos tratados. Tal como qualquer questão em saúde devemos sempre procurar ajuda de profissionais qualificados que conhecem o funcionamento das plantas e do corpo humano e que sabem o que é melhor para nós. Comunique sempre ao seu médico que faz uso de substâncias naturais. Afinal ao médico e ao padre nunca se deve mentir.
Desfrute do que a Natureza tem para lhe oferecer e nunca duvide do amor que ela tem por nós.


Autor: Filipe Gonçalves








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário