Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Dores articulares segundo a Medicina Chinesa







 DORES ARTICULARES

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa









A medicina chinesa possui uma interpretação muito própria e característica sobre a visão do corpo humano, saúde e doenças que nos afectam.

Enquanto que para a medicina convencional, as doenças articulares são consequência de situações auto imunes, de causas desconhecidas, de sobrecargas, entre outras, a medicina chinesa atribui, na grande maioria dos casos, as afecções articulares a factores climatéricos. Apesar de existirem outras causas, as chamadas causas internas, que advêm de problemas emocionais e dos órgãos internos, o clima afecta grandemente as doenças articulares.


Todos nós, se já não experimentámos, já ouvimos alguém falar, de que se apercebe quando o tempo irá mudar porque surge uma dor característica em alguma parte do corpo. Existem pessoas que são autênticas estações meteorológicas sabendo quando faz sol, chuva ou frio. É com esta visão que a medicina chinesa (MTC) identifica as causas exteriores de problemas articulares, chamados de Sindromes Bi.

Para nós, ocidentais, é-nos um pouco estranho se alguém nos disser que determinada articulação está afectada com humidade. Devido a todo o avanço científico, este vocabulário médico ancestral soa a "curandeirice", mas tentemos ter em mente que, na época em que a MTC começou a nascer (há cerca de 5000 anos), não existia sequer ciência médica, daí os nomes serem tão populares.

Passamos então a descrever, de acordo com a MTC, as causas das doenças articulares.

Dor migratória

Articulações doridas, em que a dor "viaja" de uma articulação para a outra, podendo afectar uma ou mais articulações, principalmente as articulações dos membros superiores, devem-se a uma Invasão do corpo (meridianos) por Vento. 
Tal como na Natureza o vento circula de um lado para o outro, não estando parado. No corpo a sua influência é igual. A dor não é fixa e circula de articulação para articulação. Esta situação antecede outras, ou andam juntas até, formando assim combinações nos sintomas. 
Estas dores agravam-se em alturas do ano em que o vento é mais pronunciado e na estação do ano Primavera.

Dor fixa

A dor fixa numa dada articulação ou várias, que acalma/melhora com a aplicação de fontes de calor, que muitas vezes contrai os locais onde se manifesta, que agrava quando está mais frio, é uma Invasão de Frio.
Estas dores pioram quando a pessoa entra em contacto com qualquer fonte de frio. Pessoas que trabalham em locais frios, que estão expostos muito tempo a temperaturas baixam tendem a manifestar dores articulares do tipo Frio.


Dor fixa, com sensação de peso e com inchaço

Estas serão as situações mais problemáticas a tratar. Por norma são mais demoradas e nem sempre se obtém os resultados esperados. As artroses, enquadram-se neste tipo. Estas afecções caracterizam-se por inchaço das articulações e pela presença de inchaço. Pode existir rigidez. As pessoas afectadas por esta situação são pessoas mais expostas a tempos humidos e muitas vezes trabalham também em ambientes húmidos. Chamam-se a estas dores de Invasão de Humidade. A Humidade pode se juntar a outros factores climatéricos como o  Vento ou Frio, que se manifesta por uma mistura dos sintomas. Quando a Humidade se junta com o Calor, aparecem articulações quentes e ruborizadas.
Quando, tomando como exemplo a articulação do joelho, surgem osteófitos (bicos de papagaio) nas articulações diz-se que a Humidade tornou-se mais viscosa e espessa, passando a chamar-se de Fleuma ou Mucosidades. 
Estas condições de Fleuma e Humidade, são condições já mais avançadas das doenças articulares, daí serem mais difíceis de se tratar, requerendo muitas vezes um numero mais elevado de tratamento associado a fitoterapia (uso de plantas medicinais).

Se eventualmente sofre de alguma destas patologias, pode se auto ajudar evitando as fontes que ajudam no problema. Se sofre de algo ligado ao frio, deve evitar estar perto de locais frios de se expor demasiado ao frio ou usar roupas mais quentes também. Se tem um caso de Humidade, deve evitar locais muito húmidos, evitar apanhar chuva, evitar nadar, etc. No caso do vento, por vezes é mais complicado evitar, mas não sair de casa pode ajudar.

Existem plantas que ajudam a aliviar estes sintomas e algumas delas curam o problema. Como já referi, no caso de Humidade, não é assim tão fácil, necessitando de um acompanhamento profissional, pois o problema muitas das vezes já tem repercussões internas (a nível dos órgão), mas se sofre de uma patologia de frio, um chá de gengibre fresco com pau de canela ajuda bastante no alívio das dores.

Se sente a articulação quente, a planta Harpagófito tem uma acção excelente no alívio das dores, reduzindo substâncialmente as dores e por vezes o inchaço. (se a articulação não estiver quente deve evitar a toma desta planta ou então deve conjugá-la com outras que só um profissional lhe pode dizer).

Contudo, estas indicações são uma pequena ajuda que você mesmo pode fazer. A acupuntura tem óptimos resultados no alívio dos sintomas, podendo ser conjugado com algum tratamento médico que esteja a fazer, sem prejuízo para a sua saúde. 


Filipe Gonçalves

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. O artigo parece-me sério e bem enquadrado. Não entendo o comentário nem sob o ponto de vista gramatical.Brincadeira???
    Eu andei em medicina (1º curso ministrado em Santa Maria) e acho que o tratamento das pessoas não deve ser motivo de chacota.Todos sabemos que um comprimido é mais forte que um chá. Talvez o chá possa ser,no entanto,mais aconselhável que o comprimido---em certas circunstâncias. Tratamos tantas gastrites provocadas por ácido acetilsalisílico....Deve haver bom senso...como em tudo na vida.

    ResponderEliminar
  2. Humidade sem H, escreve-se no Brasil. Em Portugal continua com o H. Provavelmente o leitor acima referenciado seja brasileiro.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar