Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Acupunctura - funcionamento, efeitos e cuidados


Resultado de imagem para acupuntura





ACUPUNCTURA
Funcionamento, efeitos e cuidados








São algumas as interrogações feitas por pacientes quanto à forma como a acupunctura funciona. As perguntas são variadas, como por exemplo, se as agulhas levam algum medicamento; qual o tipo de metal de que são feitas; se as agulhas estimulam os nervos, etc.

Esta publicação tem como objectivo esclarecer algumas dessas dúvidas. 

Então, como funciona a acupunctura?


O uso de agulhas metálicas torna esta técnica muito peculiar, e até, de certa forma, mística. Mas de nada há de misticismo na prática da acupunctura. Antes de tudo, convém dizer que a acupunctura é apenas a técnica de tratamento e não a medicina tradicional chinesa (MTC) em si. Esta é ampla e na sua constituição tem à disposição várias técnicas de tratamento. As mais conhecidas e usadas no ocidente são: acupunctura, fitoterapia, massagem Tui Na, Chi Kung, dietoterapia. 
Voltando ao funcionamento da acupunctura, esta trabalha sobre a energia vital do organismo, manipulando-a para que o corpo se restaure. Os pontos de acupunctura possuem acções próprias que permitem tonificar o corpo, ou libertá-lo de fenómenos que estão a mais, como por exemplo, frio, calor, microorganismos, etc. A MTC reconhece a existência de canais por onde flui essa energia vital, chamados de meridianos. Os pontos de acupunctura situam-se nesses meridianos. Parece por vezes que as agulhas são colocados um pouco onde calha, mas não é assim, os pontos têm localizações específicas. Os meridianos podem ser comparados a uma casa e à sua rede eléctrica. Por dentro das paredes da casa viajam tubos com fios eléctricos, que conectam interruptores, tomadas e lâmpadas. Assim como quando ligamos ou desligamos um interruptor, liga-se ou desliga-se uma lâmpada num local distante do interruptor, ou até perto, assim funciona a acupunctura. Quando a agulha é inserida num ponto, perto ou afastada do local doente, é criado um efeito que percorre todo o organismo, e que, ou por tonificação do sistema de auto cura do corpo, ou por eliminação do factor patogénico, a doença é resolvida. É por isso que a agulha não leva nenhum medicamento, seja sintético ou natural, uma vez que funciona por estimulação do corpo.
A agulha mais usada é feita de aço. Existem de prata,  de ouro e de bronze. Nos inícios da criação da acupunctura, as agulhas eram feitas de ossos de animais, bastante mais grossas que as actuais. O tamanho e espessura das agulhas são escolhidos conforme o local do corpo a ser punturado e também pela preferência do acupunctor. A profundidade a que a agulha é inserida depende da estatura do paciente, e da localização do ponto de acupunctura. Pontos mais próximos das extremidades, como mãos e pés, são mais superficiais do que pontos localizados nas costas, por exemplo. 
É também comum perguntarem se a acupunctura doí. Bom, este ponto é controverso, uma vez que a acupunctura não doí, simplesmente causa sensações, confundidas com dor. É preciso lembrar que no acto da punctura, um corpo estranho é inserido no corpo, logo, poderá causar alguma sensação, mas normalmente a inserção é tão rápida, que o paciente não sente a agulha entrar. Contudo, após a inserção é necessário promover estímulo, que como dito anteriormente, servirá para activar a energia vital, ou desfazer algo que esteja a mais, por isso, a manipulação da agulha é que se costuma reflectir numa sensação que usualmente os pacientes descrevem como choque eléctrico. Outros dizem sentir uma ligeira cãimbra ou peso. Esta sensação é descrita, erradamente, como dor. 
As agulhas permanecem inseridas durante alguns minutos, que podem ir desde 5 minutos a 30, 40 minutos, dependendo do problema. Durante este tempo o acupunctor pode ir manipulando as agulhas em certos intervalos, pode colocar sobre as agulhas moxa quente (a moxa é uma erva, artemisia, usada para queimar, que atinge temperaturas altas, com o intuito de aquecer), pode fazer sangria ou até massagem.
Findo este tempo são removidas.

É também importante conhecer os efeitos e cuidados antes, durante e após o tratamento.

Cuidados pós sessão de acupunctura 

Os doentes devem ter alguns cuidados após a sessão de acupunctura:

- Não fumar
- Não ingerir bebidas alcoólicas
- Não consumir drogas
- Não fazer exercício físico intenso
- Evitar relações sexuais
- Evitar momentos de tensão

Estes cuidados devem também ser respeitados nos momentos que antecedem o tratamento.

Efeitos da acupunctura

O efeito mais típico da acupunctura é um estado de relaxamento algo intenso, dependendo do tipo de tratamento. O sono é também um efeito associado, por isso, é aconselhável, se vier ao tratamento de carro, que um terceiro acompanhe o doente, para que este evite a condução. Normalmente o doente controla bem a sonolência, mas pode criar algum efeito de tensão, o que não deveria acontecer após o tratamento. 

Inimigos da acupunctura

Infelizmente, no ocidente, o maior problema com que nos deparamos quando atendemos um doente, e que coloca algumas resistências ao tratamento, são os medicamentos e problemas pessoais. As drogas atrasam o efeito da acupunctura sendo necessário mais tempo de tratamento para se obter resultados mais satisfatórios. Dentro dos  medicamentos, os mais complicados são os usados para alterações psicoemocionais e para cancro. Contudo, os outros também interferem. O uso de medicamentos também impossibilita a toma de plantas medicinais, devido às interacções planta - medicamento.
Os problemas pessoais, são factores externos e que a acupunctura, ou outra terapia não conseguem solucionar, isto porque não domináveis, por exemplo, uma dívida, enquanto ela existir e for motivo de doença, provocará sempre alterações na mente do doente. Contudo, o tratamento vai dando algum sustento ao psicológico do utente. 
Por fim, e esta sim, é a pior de todas, atrevendo-me a dizer que, se esta não for contornada, nada neste mundo conseguirá resolver, é a vontade do doente. Esta é o poder que, se o paciente não a tiver, faça-se o que se fizer, de nada resulta. 
Por isso, se está doente e pretende se curar, avalie primeiro a sua força de vontade, pois será ela que ditará o sucesso do tratamento.

Veja também: como se realiza uma consulta de acupunctura?


Filipe Gonçalves
director da clínica Pela Minha Saúde


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário