Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Azia

                                                               







AZIA
fogo no estômago












A maioria das pessoas conhece bem a sensação de ardor, por vezes acompanhada de um sabor ácido ou amargo na boca, que pode ser temporariamente atenuada com um copo de água ou de leite. Também pode ocorrer uma dor no centro do peito, semelhante à de um ataque cardíaco. Há, ainda, quem também sinta náuseas. O refluxo ácido durante o sono poderá causar sintomas que parecerão não ter qualquer relação com ele, e que incluem tosse, rouquidão ou dores de garganta, devido ao ácido que passa para o sistema respiratório.

Normalmente, o músculo do diafragma envolve firmemente a ponta do esófago, de forma a evitar que os ácidos estomacais aí penetrem. Se este mecanismo não funcionar adequadamente, ocorre o refluxo
gastroesofágico. Quando o diafragma é demasiado lasso, uma parte do estômago poderá escapar para cima, formando uma hérnia do hiato. A obesidade aumenta a probabilidade de isto acontecer.
O refluxo é particularmente comum durante a gravidez, por causa do aumento de pressão no abdómen e de os músculos, à volta do esófago, se encontrarem mais relaxados devido às mudanças hormonais.
O revestimento gastrointestinal produz, normalmente, mucos que o protegem das enzimas e dos ácidos digestivos. Quando este revestimento mucoso se rompe no esófago (ou no estômago ou no duodeno), poder-se-ão formar inflamações, irritação, erosões ou mesmo úlceras. Se não for tratado, o refluxo poderá levar, até, a que ocorram mudanças cancerosas no esófago.
Qualquer coisa que diminua o fluxo sanguíneo para o revestimento mucoso reduz a produção de muco ou aumenta a formação de ácido, elevando o risco. Há, também, vários fatores que causam o relaxamento dos músculos à volta da parte inferior do esófago, fazendo com que exista mais probabilidades de que o conteúdo ácido do estômago entre no esófago. Por isso, os médicos aconselham:
• Evitar as bebidas alcoólicas.
• Evitar a cafeína – café, chá preto ou verde, bebidas de cola.
• Evitar fumar.
• Controlar o stresse e tratar a ansiedade e a depressão.
• Evitar medicamentos, tais como anti-inflamatórios, e ler a bula dos medicamentos que se estiverem a tomar, para se certificar dos possíveis efeitos colaterais.
• Evitar o vinagre e as especiarias.
• Esperar três horas antes de deitar.
• Elevar a cabeceira da cama.
• Perder o peso necessário para que se volte ao peso ideal.
• Evitar os líquidos às refeições e até duas horas depois de comer.
• Não usar roupas demasiado apertadas no abdómen.
• Não coma demasiado a qualquer das refeições.


O que comer
Uma alimentação pobre em gorduras, rica em fibras, frutas, crucíferas e vegetais verdes e amarelos protege convenientemente o revestimento mucoso. Tomará, com ela, uma boa quantidade de vitaminas A e C, de ácido fólico, de antioxidantes e de muitos fitoquímicos benéficos. As azeitonas e o abacate também possuem propriedades curativas e protetoras.
É importante evitar alimentos que aumentem a acidez do conteúdo estomacal. Os piores ofensores são os ovos, o queijo e os alimentos com alto teor de gordura, uma vez que requerem ácidos muito fortes para a sua digestão.


 Marianne Ferreira
Médica
texto extraído integralmente de http://www.saudelar.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário