Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

Pirliteiro - a árvore do coração








 PIRLITEIRO
A árvore do coração












De   origem  européia,   conhecida   em  Portugal   como   pirliteiro,   são   arbustos   grandes   de crescimento lento que podem  atingir 500 anos de idade e possuem lenhos e espinhos duros.
Os principais constituintes do Crataegus oxycantha  são: Flavonóides (2%), representados
por   hiperosídeos   (0,7%),   galactosídeos,   quercetol   e   vitexina   –   2   –   ramnosídeo, procianidinas 2 – 3% (procianidol dímero, epicatecol), ácidos triterpênicos, aminas. 

Nome Científico: Crataegus oxyacantha L.
Família Botânica: Rosaceae
Parte utilizada: Folhas e sumidades floridas

INDICAÇÃO E AÇÃO FARMACOLÓGICA:  Como fitoterápico,  reduz a  taquicardia, sensação   de opressão da região toráxica, recomendado como preventivo de acidentes vasculares, na hipertensão. Tem ação sedativa sobre o sistema nervoso central, hipotensora (por produzir vaso dilatação) e tónica cardíaca (hepta hidroxi flavonóides). Esta ação sobre o   sistema   cardio-circulatório   promove   o   equilíbrio   entre   a   pressão   sanguínea   e   os batimentos  cardíacos.  É usado principalmente como sedativo em casos de  irritabilidade, insônia, angustia, sensação de vertigem, cefaléias e distúrbios da menopausa.

DOSES E USOS: Uso interno. Extrato seco: 30 a 60 mg ao dia. A administração deve ser
feita ao deitar, se usado como sedativo, ou dividida em 3 tomadas antes das refeições, se
usado como hipotensor.

REAÇÃO ADVERSA:  Utilizado nas doses corretas não apresenta  reações adversas.  

O extrato   seco   obtido   após   extração   com mistura   hidroetanólica   de  Crataegus  sp.   não apresentou toxicidade em ratos e cães após 26 semanas de uso com  30, 90 e 300mg/kg, por administração por via oral. Ensaios realizados com ratos empregando-se o pó da droga nas doses de 300 e 600mg/Kg,  por via oral,  após quatro semans não apresentou quadros de intoxicação e nem morte dos animais. 

PRECAUÇÕES: Procurar seguir a posologia recomendada. 

INTERAÇÕES: Quando administrado com glicosídeos cardiotônicos, pode potencializar os efeitos dos mesmos. 

CONTRA-INDICAÇÃO:  Não   apresenta   contra   indicação   quando   utilizado   nas   doses
recomendadas. Uso não recomendado durante gravidez/lactação.






extraído de: http://www.farmacam.com.br/monografias/crataeguses farmacam.PDF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário