Aviso

O conteúdo presente neste blog, não pretende de forma alguma substituir o tratamento médico. É meramente de consulta e informação. Se lhe surgir algum sintoma que considere relevante, consulte imediatamente o médico.
Caso tenha alguma dúvida, contacte-nos. Responderemos com a maior brevidade possível.

A doença crónica e o sistema de auto cura do corpo







DOENÇA CRÓNICA
Socorro, o meu sistema de auto cura avariou-se











A OMS define doenças crónicas como “doenças de longa duração e de progressão, geralmente, lenta” e o Centers for Disease Prevention and Control , define-as como “condições que não curam, uma vez adquiridas...e que duram 3 meses ou mais” . 
Bom, isto apenas realça a forma como são classificadas e não definem o que realmente são. 
Numa perspectiva holística, a doença crónica é
a incapacidade de o sistema de auto cura e regeneração funcionar, isto é, o organismo tem sérias dificuldades em combater a enfermidade, permitindo que esta adquira atitudes agressivas, progressivas e debilitantes. Para entender o que é o sistema de auto cura, basta olhar para uma ferida na pela, provocada por um raspão, por exemplo. Se a observarmos, passados uns dias, ela apresenta características de cura, começando por formar uma crosta, até desaparecer e deixar apenas uma cicatriz. Isto é o corpo a curar-se. Praticamente não precisa de uma intervenção humana para se regenerar, excepto em casos graves, como evidente. Nas doenças crónicas, essa capacidade está limitada e diminuída, provocando um constante desgaste quer da área doente, quer de todos os processos envolvidos para a regeneração-
Para a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) a definição de doença crónica é a incapacidade do organismo expulsar o agente causador de doença, devido à fraqueza do sistema ou parte do sistema. Assim como a OMS, é de características lentas, gradual e prolongada.
Pelo exemplo da ferida, que referi atrás, pode-se então entender que, restaurada a capacidade de auto cura, uma doença crónica pode regredir. É possível ficar alguma incapacidade, devido ao tempo em que a doença ficou instalada, e aos danos que provocou, como por exemplo, na artrite reumatóide, em que existe deformidade nos dedos. 
Então, o que fazer perante uma doença crónica?
O nosso organismo responde muito bem a tudo quanto seja o mais natural possível. Esta palavra, natural, está já bem gasta, pois hoje ela é usada em muitos coisas e para muitas coisas, mas não deixa de ser uma palavra bastante importante para explicar o pretendido. Quando me refiro a mais natural possível, refiro a um conjunto de situações que normalmente o ser humano evita. Está na sua natureza fugir do que é bom e chegar-se ao que é mau. Com um pouco de esforço e de confiança numa melhoria do estado de saúde, é possível.  

Eis então um conjunto de algumas ideias que podem ajudar (já são bem conhecidas pela maioria)

Respirar bem fundo - isto permite uma excelente oxigenação. O oxigénio é essencial para a vida e para a saúde. A falta dele provoca a morte, certo? Se estiver 7 minutos sem oxigenação, os resultados são desastrosos. Hoje em dia, para além de o oxigénio estar diminuído devido à poluição, temos uma respiração muito superficial, isto é, inalámos menos oxigénio em cada respiração que fazemos. Todos os dias ao acordar e deitar faça entre 5 a 10 inalações profundas. 

Beba água - não precisa de se afogar em litros de água. Beba 3 copos de água entre as refeições, nunca durante as refeições. Procure usar uma água boa, filtrada e de pH alcalino, para que os benefícios sejam os melhores. Beba apenas e só água.

Faça exercício - Não precisa se tornar num atleta de alta competição, nem de longe nem de perto. Basta fazer caminhada durante 60 minutos, três a quatro vezes por semana, num passo ligeiro. Se gostar de corrida, corra de forma ritmada a um passo que não puxe demais. A natação é também um bom exemplo de exercício saudável.

Alimente-se bem - com isto quero dizer para comer o que é saudável, frutas, legumes, cereais integrais, leguminosas. Lembre-se desta frase: tudo o que nascer nas prateleiras do supermercado não deve comer, mas coma tudo o que provém da terra. 

Temperança - desista de hábitos que lhe sejam prejudiciais. Tudo o que sejam vícios destroem por inteiro o organismo. 

Apanhe sol -  apanhe sol, sempre respeitando as normas para não se queimar. O sol tem enormes benefícios para a saúde, quer física, quer mental. Desfrute dessa bênção o mais que puder.


Repouso -  o nosso corpo, assim como tudo neste mundo, tem limites. Abusar dele trará consequências. Somos capazes de aguentar algum tempo com pouco repouso, mas o seu efeito é devastador. Procure ter horários para descansar e ter um dia na semana, por exemplo, o fim de semana (sábado) para o fazer. Verá como isso terá em si grandes benefícios. Use o sol para orientar o seu descanso. O cérebro reage às mudanças da luz. 

Reflexão e orientação - reflicta sobre a sua vida, o seu carácter. Perceba os pontos que estão menos bem na sua vida e personalidade. Olha para eles e procure fazer alterações a esses níveis. Use o perdão para sentir alivio, se necessário, e faça caridade para sentir paz e felicidade. 
Se é uma pessoa com fé, então use essa arma para que, o peso que carrega, não se torne mais um peso. 
São vários os investigadores que provam a relação entre religião e saúde. Uma ideia simples, prática e acessível, é falar com Deus como se falasse com um amigo. Esta conversa fá-lo-á libertar-se do seu cansaço e opressão, sentindo que o seu fardo foi aliviado.

E por onde começar?

Por vezes os doentes crónicos desistem à primeira por acharem que é muita coisa que têm que mudar. E no fundo até é. Mas é necessário. São tantas  as asneiras que cometemos, que podemos ver por estas indicações que no dia a dia fazemos tudo mal e ao contrário. Mas comece pela ideia que lhe parece mais certa e fácil. Pratique-a, e quando ela estiver enraizada nos seus hábitos, passe para outra. Não tem, nem deve mudar tudo de uma vez. Isso não resulta. Resulta sim mudar um pouco de cada vez, mas mudar. 
Poderá em certas ocasiões sentir que está novamente a cair, mas a boa notícia é que mesmo isso faz parte do processo. Preocupante não é cair, mas sim manter-se no chão e não se levantar.

Quais os resultados?

Ao fazer as mudanças perceberá que o seu corpo reagirá. Às vezes parece que piora, mas não é verdade. Tudo isso faz parte do processo. Persista e as melhoras surgirão.

Ajuda extra

O recurso a técnicas terapêuticas não convencionais podem ser uma preciosa ajuda no tratamento de doenças crónicas. Elas encaram a doença de outra forma e isso pode trazer novos tratamentos capazes de cooperar com os tratamentos médicos. Procure sempre um profissional credenciado. Importante é seguir as recomendações dadas pelo técnico, caso contrário não vale a pena. 




Filipe Gonçalves
director clínico da Clínica Pela Minha Saúde


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sem comentários:

Enviar um comentário